<$BlogRSDUrl$> Site Meter

quinta-feira, janeiro 29, 2004

Também tenho o meu jardim.
É assim,
E apareceu como por artes de perlimpimpim!
Calai-vos um pouco,sim?
Parai o chinfrim!
Ouvi dos guisos o trelintintin...
O fru-fru das rendas e do setim
O som das tosses e dos atchim.
Escutai...assim...assim...

quarta-feira, janeiro 28, 2004

No cume daquela serra
Há um olho de água, à beira.
É uma água tão cheirosa
Que a multidão, ambiciosa,
O olho do cume cheira!

No cume daquela serra
Plantei uma roseira,
Quanto mais as rosas brotam
Mais o cume cheira.

Quando a chuva o cume molha
E a água faz catadupa,
Vem o sol e o cume aquece
E a água do cume chupa!
Nasci, estudei, casei-me, tive filhos e trabalho. Mas declaro, para os devidos efeitos, que não quero, repito, não quero um funeral com Honras de Estado. Ouviram?
Está tudo doido!
Fiz três tentativas para inserir várias imagens diferentes aqui. Debalde. Lá aparecer, apareciam, mas atiravam-me com a coluna dos links lá para baixo??? Seriam grandes de mais? Será que mudando de template me safo?
Que se lixe. Já é tarde. Até amanhã e durmam bem!

segunda-feira, janeiro 26, 2004

Ana porque you are so fragile nunca é demais lembrar:

" Hoje Recebi Flores!
Não é o meu aniversário ou nenhum outro dia especial; tivemos a nossa primeira discussão ontem à noite e ele disse muitas coisas cruéis que me ofenderam de verdade. Mas sei que está arrependido e não as disse a sério, porque ele enviou flores hoje.

Ontem ele atirou-me contra a parede e começou a asfixiar-me. Parecia um pesadelo mas dos pesadelos acordamos e sabemos que não é real. Hoje acordei cheia de dores e com golpes em todos lados. Mas eu sei que está arrependido porque ele me enviou flores hoje. E não é São Valentim ou nenhum outro dia especial.

Ontem à noite bateu-me e ameaçou matar-me. Nem a maquiagem ou as mangas compridas poderiam ocultar os cortes e golpes que me ocasionou desta vez. Não pude ir ao emprego hoje porque não queria que se apercebessem. Mas eu sei que está arrependido porque ele me enviou flores hoje. E não era dia da mãe ou nenhum outro dia.

Ontem à noite ele voltou a bater-me, mas desta vez foi muito pior. Se conseguir deixá-lo, o que é vou fazer?
Como poderia eu sozinha manter os meus filhos? O que acontecerá se faltar o dinheiro? Tenho tanto medo dele! Mas dependo tanto dele que tenho medo de o deixar. Mas eu sei que está arrependido, porque ele me enviou flores hoje.
Hoje é um dia muito especial: É o dia do meu funeral. Ontem finalmente conseguiu matar-me. Bateu-me até eu morrer.

Se ao menos tivesse tido a coragem e a força para o deixar...Se tivesse pedido ajuda profissional...Hoje não teria recebido flores!
Por uma vida sem violência .Partilhem esta mensagem... para criar consciência. Não podemos deixar que continue. É uma realidade muito triste...
Morrem 5 Mulheres por mês em Portugal vitimas de maus tratos!
Mulheres lembrem-se, é vital ultrapassar o sentimento de culpa e
DENUNCIAR.
CORAGEM!"

domingo, janeiro 25, 2004

Um fenómeno entomológico no mundo dos blogues! Quando o assunto é polémico, além dos que estão dispostos, como é humano, a discutir a questão e a apresentarem racionalmente a respectiva posição, aparecem outros, as moscas verdes (sabem, aquelas que comem trampa e que só as vemos em caso de bucólico alívio), que caem, gulosas, nas caixas de comentários. Grafitteiros complexados chafurdam e alimentam-se na própria essência. No entanto não lhes quero mal. Os pobres imbecis já se encontram castigados, uma vez que estão condenados a aturarem-se a si próprios. É pena que , quando fechamos a janela de comentários, esta não esborrache , selectivamente, esses coprófagos insectos. Talvez haja software adequado? Vou indagar!

sexta-feira, janeiro 23, 2004

Só agora reparo na publicidade no topo desta página! Nem de propósito! E ainda dizem que Deus não existe...
A blogosfera torna-se um pouco nossa casa, né? Quem nos visita, e fica, é um pouco como nosso amigo íntimo, né? E aos nossos amigos íntimos a gente faz, por vezes, confidências, né? E pode-se queixar, né? Hoje estou mesmo aflitinho das homorróidas!
Muitas senhoras que já tiveram bébés saibem o que isso é. E muitos senhores que não tiveram também saibem!
Porque é que um orifício de saída (na grande maioria dos utentes), que é a porta para o oblivion, de repente começa a lembrar-nos que existe? E incha, incha, na balofa empáfia da sua importância. Vem-me à memória um filme do saudoso Tótó, no decorrer do qual ele nunca abandonava uma pequena almofadinha do feitio de um salva-vidas. Lembram-se? Bem o compreendo agora!
Bem, um bom fim de semana a todos! Está na hora do semi-cúpio gelado e da pomadinha!!

quinta-feira, janeiro 22, 2004



Abstracção Aleatória

Hoje falo-lhes de Pintura.
Tenho a mania que dou uns toques com o pincel! Neste particular, com o rato. Os elementos desta composição foram surgindo do âmago anti-concepcional da telúrica retórica, enquadrada pela homogeneidade actuante da ubiquidade pictorial na sua forma mais espontânea. A relação efémera do espaço-tempo ressalta na consubstanciação poderosa do tema. Reparem na subtileza do traço concomitante aos espaços quasi siderais, os quais, quiça, nos conduzem decisivamente à introspecção vegetativa. Mais não escrevo.
Como diria Destrolikovitch, na página 345 ,linha 27, do seu Manual do Crítico de Arte Iniciado, “...e quando começares a escrever algo que quase se percebe, emenda a mão!...”
Tenciono pois, no decorrer desta actividade, dar a conhecer alguns aspectos mais curiosos dessa actividade sublime que é a Pintura e daquela máquina de encher chouriços que dá pelo nome de Crítica.
Não, nem todos são açougueiros e bresundas, há-os de saber inquestionável, mas vá-lá encontrá-los!
Aos meus amigos e amigas que me lêem e que fazem umas habilidades com o peludo instrumento, acautelai-vos! Não mostrem a vossa obra a qualquer um. Arriscam-se a ficar capazes de postar os mais tétricos estados de alma na blogoesfera.

quarta-feira, janeiro 21, 2004

Estou muito contente!
Passada a fase dos estados de alma ligeiramente depressivos ou melancólicos de algumas autoras da nossa blogoesfera, voilá que se observa, numas, o olhito arremelgado para um ou outro mouro costeiro, enquanto outras, ultrapassada a crise, encetam agora afoita navegação por mares de temas mais comezinhos e prosaicos. O humor das gentes é como um iô-iô. No entanto alguém disse que o segredo da felicidade é conseguir manter um humor constante. Será?
Hoje não me apetece escrever graçolas. Que se lixe!
Inté...

terça-feira, janeiro 20, 2004

Estou contentíssimo! Tenho oportunidade de ser politicamente correcto. Transcrevo um e-mail que acabo de receber, com erros e tudo e sem comentários. Quem quizer que os faça. Então reza assim:

" 1.A jornalista Maria Joao Ruela foi, por indicacao da sua entidade
patronal, para o Iraque fazer uma reportagem sobre um pais em
guerra.
A jornalista Maria Joao Ruela, e a sua entidade patronal, sabem que
nas guerras existem probabilidades, um pouco maiores de ser ferida,
morta ou assaltada, do que se estiver a fazer uma reportagem sobre o
desaparecimento das urgencias de pediatria no hospital de Santa Maria.
A jornalista Maria Joao Ruela foi ferida e assaltada enquanto exercia
o seu trabalho de jornalista para a sua entidade patronal.
A jornalista Maria Joao Ruela foi evacuada para o Kuwait, onde foi
assistida num hospital local.
A jornalista Maria Joao Ruela foi re-evacuada (isto e, evacuada depois
de ja ter sido evacuada) de um hospital no Kuwait para um hospital em
Portugal. Para isto foi enviado um aviao do INEM (sim, parece que tem
um...) de proposito ao hospital do Kuwait para trazer a senhora para
um hospital em Portugal.

2.Se o pedreiro Manuel Capucho se ferir num acidente de trabalho em
Angola (onde a assistencia medica esta longe de ser igual a do
Kuwait...) o INEM vai mandar um aviao?
Se o pescador Antonio Barreto se ferir na pesca do bacalhau na Terra nova, o
INEM vai mandar um aviao a Gronelandia?
Se uma crianca de Odivelas necessitar de atendimento urgente num dia
de Greve nos transportes e, o hospital Dona Estefania (que agora e o
único com urgencia pediatrica...) que esta numa zona de difícil acesso
rodoviario, estiver inacessivel em tempo util... o INEM vai enviar um aviao a Odivelas?
Se tu, que pagas os mesmos impostos que a jornalista Maria Joao Ruela
(que foi para o Iraque trabalhar, como tu vais para o trabalho todos
os dias) tiveres um acidente de trabalho, o INEM vai-te buscar de aviao?

3.O jornalismo portugues que e tao zeloso quando se gasta o dinheiro dos contribuintes... agora esta calado???!!!!!!
O jornalismo portugues tao avido de sangue quando se trata de matar o
nome de qualquer cidadao distraido... agora esta calado?
O jornalismo portugues que conseguiu a proeza de mandar um Batalhão de
jornalistas que so conseguiam fazer reportagem... sobre os outros
jornalistas... agora nao escreve sobre esta jornalista?
O jornalismo portugues que tanto gosta da concorrencia entre si...
agora esta todo de acordo?
O jornalismo portugues tem espinha?
O jornalismo portugues tem moral?

4.O jornalismo portugues, que ja tinha inventado a forma peculiar dedar
noticias ao estilo: morreram 3 pessoas e 1 jornalista, agora tem uma
razao para se sentir realizado: os jornalistas, de facto, nao sao
pessoas (pelo menos pessoas como os outros humildes mortais...)

5.Seria bom que o governo portugues que justificou o fecho da urgencia
pediatrica de Santa Maria (por sinal o hospital com o melhor servico
de pediatria e neo-natalidade de Lisboa) por razoes economicas,
tivesse utilizado aquele dinheiro para manter o servico aberto e
deixasse a jornalista Maria Joao Ruela se restabelecer no hospital do
Kuwait (que e excelente!!!) e viesse para Portugal, num avião comercial, depois de estabelecida...
A saude das nossas criancas ficaria agradecida...
"

Ainda virá apropósito?

Esta é uma pública homenagem ao melhor blog da esfera! Cataláxia! Porquê? Porque simplesmente reconheceu a existência deste site, também publicamente, e, também publicamente, deu as boas-vindas cá ao rapaz! Bricadeira à parte, é claro que não é, só (sou um bocadinho interesseiro), por isso, mas também pela qualidade do modo e pela justeza do conteúdo dos seus blogues. Obrigado.
Tenho a mania das linguas. Hoje fiquei literalmente arrasado com a helénica erudição da Bomba. É rapaz! Que inveja. Falo 14 linguas mas , infelizmente, do meu reportório não faz parte o Grego. Nem o velho nem o novo.
Como o blog dela não tem local para comentários, faço daqui um apelo a quem me ler, no sentido de pedir à Charlotte se me traduz uma pequena estrofe que uma antiga namorada, grega por sinal, me fez em noite de inspiração e da qual nunca quiz revelar o significado ( a tradição oral do evento implica apenas a transcrição fonética aproximada):

Priitoxos ethi ckata
Texonikos daxi xenis,
Kalimera thos nikta
Tsalonikos niko trakis.

Adorei a moça. Se por acaso o segredo escondido neste pequeno poema implica uma martelada nas minhas mais inocentes fantasias, então não quero saber...Nim...Quero!
Mais vale uma má certeza que uma dúvida!


segunda-feira, janeiro 19, 2004

Relatos da Gaveta (excertos)

“...o dedo grande do pé espreita pelo orifício indiscreto da bota preta cambada, sem atacadores. A perna das calças, que recordo curta e enxovalhada, não cobre a peúga de bambo elástico. Onde acaba a meia começa a Cal. Supremo e derradeiro luxo, esse . O da peúga . Porque o direito à Cal é inalienável e universal na civilização urbana. Só que no meu caso a Cal não foi suficiente e fiquei com pé esquerdo descoberto. O dedão olha-me insigne acusador da decadência suprema, culpando-me da comichão que experimenta. Sempre fui alérgico ao chumbo. Imaginem-se com um formigueiro na polpa do apêndice digital inferior sabendo que irremediavelmente afastado está o poder apaziguador de uma coçadela, uma vez que ele próprio, dedo, é o único item ainda sólido no meu miserável, e agora líquido, invólucro carnal! Caspite, atabafa-se aqui dentro e ...”

sexta-feira, janeiro 16, 2004

Hoje, 6ª feira (e não é dia 13) falo-lhes de coisas terríficas e desintrobiquadrilhantes...
Qualquer coisa atacou as Martas! Será chamar-se Marta um sortilégio? Angústia dupla, da Marta sobre a razão da existência morte e da Marta sobre o terror da mesma, em verso! Que desassossego, meninas ! Não escarafunchem ! Rendam-se à sua inevitabilidade! Pronto!

E a razão para a existência da Vida?
Porque razão eu, você, e todos os outros, nascem? E porque somos assim como somos e não igualzinhos a outro ou outros? Porquê uma diversidade tão grande de seres vivos e não existem almas para todos?
A razão invocada, por muitos, de que Deus nos pôs no Mundo para podermos apreciar a Sua Obra, é ridícula e ofensiva para o próprio Deus. Age como um vaidoso à sua dimensão quando nos dá a Vida, e um desmancha prazeres na altura em que deixa que a Morte nos arrebate - quando finalmente te começas a aperceber do bom que é viver e o conhecimento que adquiriste, do Universo, a levar-te a acreditar que existe Algo mais do que os teus sentidos dão conta, zás, morres! Em que é que ficamos?
Ora abóbora!
E os animais, para que servem? E o Mundo à quoi bon? E isto que eu escrevo tem alguma importância , nexo ou faz diferença ?
Cheer up, girls! Vem aí o fim de semana.

quinta-feira, janeiro 15, 2004



Uma imagem destas , o Sol a despontar por entre cúmulos que se desvanecem = a esperança, em determinadas alturas da vida, abre-nos a vontade a ponto de nos conseguirmos convencer de que seremos capazes de actuar como sugerido no pensamento junto.
No entanto, e estranhamente, renasço com o tempo encoberto. Como hoje. É verdade! E abre-se-me o espírito para estes lugares comuns...
O limite que as núvens põem ao meu espaço, dá-me uma certa sensação de aconchego e mesmo de felicidade. Serei um nadinha agorafobo? Mas se aclaustrofobia faz parte das minhas idiosincrasias...É nisto que reside o meu charme: um paradoxo com pernas! Um cepo lírico, por vezes. Uma bota da tropa a fazer de jarra de flores.

quarta-feira, janeiro 14, 2004

É muito difícil encontrar motivos de interesse para mostrar todos dias. Pelo menos para mim. Passei a admirar aqueles que, por contrato, conseguem redigir diáriamente comentários ou crónicas dignas de nota. Parabéns!
Hoje estou com prisão de cérebro e não encontro os supositórios adequados. Vá lá de piadas porcas!

terça-feira, janeiro 13, 2004

Já passouuuuuuuuuuuu! Estava mesmo a necessitar disto:
A Ana é uma riqueza! Acha que eu sou inteligente! Viva! Vivaaaaaaaaaa!E escusam de me chamar presunçoso seus invejosos mal encarados e trombudos.
Só é pena o seu maravilhoso site não ter um zingarelho de "Comments".
Agradeço enternecido e gargalhador. Humor à parte!

Hoje não me encontro com disposição para brincar. Grrrrr... !

Desde o “cafard” da Marta a este artigo, tudo contribuiu para me aviltar o humor. Não falando da confissão pública desta outra Marta.
Não consigo aguentar o sofrimento alheio e além disso, numa penada, ilusões antigas e recentes esperanças arrastam-se pelas ruas da amargura.
Resultado: descobri que sou federalista, aqui.
Que grande salada!


Está-me a doer um sacana de um dente! Molar orgulhoso e solitário cuja vizinhança se foi, há muito. Tive-o, durante alguns anos, a suportar um outro, esse então falso como Judas, que a pretexto de não se aguentar por si próprio vivia abraçado ao nosso herói, à esquerda, e ao companheiro pré-molar à direita. Malandro de primeira e artificial não podia deixar de ser um extremista. Por inveja da rica solidez dos outros pregou com uma cárie no amparo da direita e uma inflamação na gengiva do correligionário.
É claro que imediatamente lancei no lixo sem apelo nem agravo, o autor de tamanha baixeza, mas o mal já estava feito. É bem verdade quando se diz –mais vale só que mal acompanhado!
Agora, Emílio, aguenta-te com o preenchimento da dolorosa lacuna e com o paladar delicado da Rovamicina.




sexta-feira, janeiro 09, 2004

Como ainda sou um bébé nestas andanças, ainda não tive a sorte de conhecer o Rui, mas deixe-me dizer-lhe que a sua diatribe postada no dia 8/1 é de 5 estrelas, em minha opinião. Bravo!
Diz você que a classe política tem medo dos jornalistas. Mas errou por defeito. Não é medo, é pavor, pois este paraliza.
Verdade grossa como um punho, sabe vocemecê porquê? Por uma razão muito comezinha:
- Quem tem cú tem medo! E muito soberaninho safardana deve ter o trazeiro quase à vista.
Quiçá se qualquer plumitivo, desses que abundam, cusca e intriguista, começasse a esgravatar em muitos curricular-impressionantes passados, um manacial de calvices surgiria encandeante brilhando ao sol da imprensa que temos, perdidos que seriam os respectivos periclitantes capachinhos.
É muito, muito triste! E não há ninguém com tomates e com farta cabeleira natural que tome uma atitude. Se calhar a esses não lhes interessa a política...(suspiro).
Vou juntar o Catalaxia à minha lista " e também estão".
Abraços, Rui

Tendo eu adquirido uma formação altamente técnica e, consequente e lógicamente, obrigado a pautar as minhas acções através de uma conduta de carácter cerebral e razoável, não senhora. Nada disso! A sacana da bomba intra-toráxica tem que meter sempre o bedelho, chiça!
Até aqui, neste ambiente em que o racional, e direi mesmo, o intelectual e o cultural campeiam, não é que só me apetece colocar aqui links aos que de algum modo me tocam nos interiores (superiores, é claro).
Não me sentindo eu um democrata a toda a prova, não me repugna, antes pelo contrário, partilhar este espaço com blogueiros que, políticamente, não têm nada a ver cá com rapaz, mas que em termos sentimentais e humanos são meus irmãos.
Raios partam a política!
Que alguém me ensine a bani-la da alma porque do cérebro me encarrego eu.

quinta-feira, janeiro 08, 2004



BEMVINDOS, finalmente, todos os esforços a serem feitos para desenvolvimento de outros desportos que não seja a porra do FUTEBOL !
Que a populaça comece, desde a mais tenrinha idade, a dar com os costados e penantes nos estádios, ginásios, pavilhões, pistas, piscinas, ringues e tatamis, e a deixar de assentar a fofa bunda nas bancadas, até ter idade para tal.
Que os governos concedam os meios necessários para que tal aconteça, não só os materiais como os educacionais.
Vivam todas as modalidades! Vá lá, mesmo a porra do futebol mas reduzido a uma dimensão mais decente, até porque aprecio o que se passa no rectângulo mas odeio tudo o que faz parte da entourage.


Ouvi hoje que Portugal, a par do Equador e mais quaisquer outros 2 ou 3 países é um dos mais pessimistas do mundo. Não ouvi quem fez a análise. Mas acredito que quem tirou tal conclusão de certeza certezinha não efectuou uma sondagem à população em geral. Estou convencido que se limitou a consultar a Imp(r)ensa isentamente informativa (hi,hi,hi,hi...) que temos.
Lembram-se daquela expressão antiga, aplicada então à TV, mas que serve perfeitamente para o caso?:
Cada povo tem a Imprensa que merece...Nós temos a nossa!

quarta-feira, janeiro 07, 2004

O meu ídolo na política é o Alberto João. Sim, o da Madeira. A dele, é a democracia que eu entendo. É a democracia da berlaitada! É a política primária despida de velaturas espúrias. É o conceito de justiça mais básico e acessível a todos. É a opinião aventada nua, não travestida. É sobretudo a ausência de nhã..nhã..nhã e paninhos quentes.
Neste contexto, quem comete falta é punido, quem executa um crime é julgado e preso. Ponto final.
Infelizmente quem "vai p'rá política", normalmente não se conduz assim. E quando "lá" chega e se encontra com os seus pares sente de imediato que pertence a qualquer coisa que podemos comparar a uma sociedade secreta, possuidora de ritos iniciáticos, práticas, filosofia e valores totalmente desligados dos da sociedade de onde veio. Os fins justificam sempre os meios.
Tudo isto já foi dito, escrito e reescrito. Mas convém nunca esquecer, porque Eles "andem aí" e dão-nos cabo da paciência e dos carcanhóis! Raios os partam!
Adoro uma boa piada como já devem ter percebido. No outro dia, um amigo meu, americano por sinal, contou-me que a sua avó, com 87 anos, é grande fan do jogo do Bingo além de possuir um caparro capaz de fazer frente ao actual governador da Califórnia.
Certa noite, ao regressar a casa mais cedo que o previsto, vinda de uma das suas sessões de azar, depara-se com o marido embrulhado nos lençois comuns, com outra mulher. Azar o dele. Da Outra não reza a história. Mas do prevaricador pouco restou após ter sido lançado pela janela daquele 2º andar pela esposa furibunda.
Tribunal com ela.
À questão do Mertíssimo relativa a tão selvagem castigo, returque:

"Saiba vossa Mercê que o meu desejo foi simplesmente expulsá-lo de casa. Achei que se aos 92 anos aquele malandro consegue ter sexo também conseguiria voar."

terça-feira, janeiro 06, 2004

Que este ilumine o pensamento e a acção de políticos, jornalistas e membros do poder judicial deste país, já para não falar da populaça em geral.

Esta nação já não aguenta mais casas Pias sob pena de se tornar ela própria uma descomunal Retrete pois, meninos, cócó não falta! Nas palavras e actuação de quem devia demonstrar mais responsabilidade, respeito pelo próximo e contenção na palavra.

A trampa mental aflora já ao nível dos circuitos inferiores de muita gente Pública. Perigo eminente de curto-circuito!
Não contem comigo para respiração de reanimação boca-a-boca! Os hálitos serão insuportaveis e a regurgitação salvadora, nauseabunda!

quinta-feira, janeiro 01, 2004

A Paz


Que todos os dias de 2004 anoiteçam assim e nunca pior, e sejamos capazes de suspender o movimento do moínho das nossas lucubrações para podermos repensar, em paz e em cada dia, os actos dos seguintes.

Que comecem bem!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Weblog Commenting by HaloScan.com